Continuação de O diabo veste Prada chega ao Brasil

postado por Andreia Santana @ 6:07 PM
29 de setembro de 2013

Em junho de 2012, o blog anunciou a expectativa em torno do lançamento de A vingança veste Prada, continuação do best-seller O diabo veste Prada que se tornou ainda mais conhecido após o filme homônimo protagonizado por Meryl Streep e Anne Hathaway. Pois o segundo livro da série acaba de chegar ao Brasil, também publicado pela Editora Record.

A nova história de Lauren Weisberger acontece quase dez anos depois que a protagonista, a jornalista Andrea Sachs, abandona o emprego na revista de moda Runaway e se livra da chefe infernal Miranda Priestly. Andrea agora é a bem-sucedida editora da revista Plunge, sobre casamentos. Ao lado de Emily, antiga colega de trabalho e atual melhor amiga, a vida da jornalista não poderia estar melhor: além do sucesso da revista, está prestes a se casar. Mas, uma semana antes do casamento, Miranda volta para assombrá-la…

A Fox já divulgou que em abril de 2015 será lançado o filme inspirado em A vingança veste Prada. O projeto, porém, ainda não tem diretor definido, embora a própria autora do livro assine o roteiro. Anne Hathaway e Meryl Streep retomarão os papeis de O diabo veste Prada, que é de 2006. Emily Blunt também está confirmada no elenco.

 Ficha Técnica:

A vingança veste Prada

Autora: Lauren Weisberger

Editora Record

448 páginas

Preço: R$ 40,00


Romance e contos vencedores do Prêmio Sesc chegam às livrarias

postado por Andreia Santana @ 4:35 PM
23 de julho de 2013

Os livros contemplados com o Prêmio Sesc 2013 nas categorias conto e romance chegam às livrarias de todo país agora em julho, em lançamento da Editora Record. Pelas regras do concurso, os vencedores tem suas obras publicadas por uma grande editora, com tiragem inicial de dois mil exemplares.

Noveletas, de João Paulo Vereza, foi o vencedor na categoria contos. O livro traz histórias ambientadas em Minas Gerais, mais especificamente no universo ficcional que remete a autores como Guimarães Rosa, Lúcio Cardoso e Cornélio Pena.

O evangelho segundo Hitler, de Marcos Peres, foi o vencedor da categoria romance e é o livro de estreia do autor paranaense. A obra foi considerada pelo júri do Prêmio Sesc como a mais criativa dentre as inscritas. Conta uma historia inusitada em que um conto de Jorge Luis Borges teria inspirado Adolf Hitler a conceber o Nazismo.

Fichas Técnicas:

Noveleletas

Autor: João Paulo Vereza

Editora Record

192 páginas

Preço: R$ 24,90

 

O evangelho segundo Hitler

Autor: Marcos Peres

Editora Record

352 páginas

Preço: R$ 34,90

*Com informações da Editora Record


Comédia romântica expõe o futuro na internet

postado por Andreia Santana @ 3:44 PM
8 de junho de 2013

O futuro de nós dois, de Jay Asher e Carolyn Mackler, chega ao Brasil, editado pela Record, na esteira dos direitos comprados pela Warner Bros para ser adaptado para o cinema. Ambientada em 1996, a comédia romântica sai pelo selo Galera, voltado ao público jovem da editora.

Conta a história de Emma, que acaba de ganhar seu primeiro computador do pai, e um CD-ROM da America Online, de Josh, seu melhor amigo. Ao instalar o programa, logo no primeiro acesso, os adolescentes descobrem que acabaram de entrar para o Facebook, que só existiria dali a quinze anos. A dupla se pergunta que programa é esse e porque as pessoas se expõem tanto, mas ao verem o que o futuro reserva para eles, Josh e Emma não contém a curiosidade. Mas futucar a “rede social” pode trazer consequências irreparáveis ao presente (e futuro) dos dois…

Direto da Escandinávia

Também da Record, chega ao mercado neste mês de junho, mas voltado para o público adulto, o romance O ancião que saiu pela janela e desapareceu, de Jonas Jonasson. Este é o romance de estreia do jornalista sueco, que aos 47 anos, após passar por reviravoltas na vida pessoal e profissional, decidiu escrever a história das aventuras de um velhinho diante dos mais marcantes acontecimentos da história recente.

O livro foi lançado em 35 países, ultrapassou a marca dos seis milhões de exemplares vendidos e tornou-se fenômeno mundial, pegando carona na onda que revelou ao mundo autores escandinavos como o norueguês Jo Nesbø (Headhunters), os suecos John Ajvide Lindqvist (Deixa ela entrar) e Stieg Larsson (trilogia Millenium) ou o dinamarquês  A. J. Kazinski – pseudônimo dos escritores Anders Rønnow Klarlund e Jacob Weinreich - (O último homem bom). 

Leia a sinopse enviada pela editora de O ancião que saiu pela janela e desapareceu:

Está tudo pronto para a festa de centenário de Alan Karlsson: o prefeito está lá, a imprensa, toda a equipe do asilo onde ele mora, todos querem comemorar. O único problema é que Allan não está nem aí para a festa. Pular a janela e explorar o mundo parece muito mais divertido – mesmo que ele esteja só de pantufa e pijamas. Ao acompanhar as desventuras divertidas deste senhor muito particular, em fuga de mocinhos e bandidos, o leitor vai conhecendo melhor a história do homem que presenciou algumas das mais inusitadas experiências e conheceu personagens emblemáticos do século XX, alterando o curso da história.

 Fichas Técnicas:

 >>O futuro de nós dois

Autoras: Jay Asher e Carolyn Mackler

Tradução: Ana Ban

384 páginas

Preço: R$ 34,90

>>O ancião que saiu pela janela e desapareceu

Autor: Jonas Jonasson

Tradução: Bodil Margareta Svensson

364 páginas

Preço: R$ 39,90


Novo livro de Betty Milan na lista dos mais vendidos

postado por Andreia Santana @ 1:23 PM
13 de maio de 2013

Carta ao filho, novo livro da escritora, jornalista e psicanalista Betty Milan, lançado em 15 de abril passado, pela Editora Record, figura na lista desta semana dos dez mais vendidos na categoria Não Ficção, nos rankings das revistas Época e Veja, e do site Publishnews. 

O livro é uma reflexão da autora sobre a maternidade na sociedade contemporânea, mostrando as dores e os prazeres de ser mãe e analisando os muitos perfis de mãe que existem, o quanto as mulheres são cobradas para serem “mães perfeitas” e de que forma as muitas revoluções femininas contribuem para diferentes exercícios da maternidade, uma vez que não existem fórmulas e a ideia é justamente recusar a “pressão social que pretende fechar as mães numa clausura”.

Ficha Técnica:

Carta ao filho

Autora: Betty Milan

160 páginas

Editora Record

Preço: R$ 29,90


Agenda literária movimenta Salvador e Feira agora em maio

postado por Andreia Santana @ 1:41 PM
3 de maio de 2013

Mino Carta estará em Salvador no dia 13 para palestra e lançamento

Anote na agenda, programe-se e vá lá ver:

Eduardo Moreira lança O encantador de montanha

Onde: Em Salvador (Saraiva do Salvador Shopping)

Quando: quinta-feira, dia 9 de maio, às 19h

O encantador da montanha (Editora Record, 160 páginas, R$ 19,90) é o novo livro do carioca Eduardo Moreira, autor de Encantadores de vida, considerado bestseller do gênero Auto-ajuda. O livro narra o encontro do jovem Pólio com o sábio Laervas, mestre de quem se tornará amigo e aprendiz, e com quem encontrará os caminhos de se compreender e de se recolocar no mundo…

Victor Mascarenhas lança Xing Ling – Made in China

Onde: Feira de Santana (Livraria Nobel – Avenida Getúlio Vargas, número 2410, Parque Getúlio Vargas)

Quando: quinta-feira, dia 9 de maio, às 18h30

Xing Ling – Made in China (Solisluna Editora, 80 páginas, R$ 29,90), romance de estreia do contista e roteirista Victor Mascarenhas (leia resenha aqui), será lançado na cidade natal do autor.

Mino Carta lança O Brasil

Onde: Salvador (Livraria Cultura, Salvador Shopping, Av. Tancredo Neves, 2915 – Caminho das Árvores)

Quando: segunda-feira, 13 de maio, às 19h

O jornalista Mino Carta, diretor de Redação da revista CartaCapital, fará uma palestra e o lançamento de seu romance O Brasil (Editora Record, 356 páginas, R$ 44,90). O livro promove uma devassa da história e do jornalismo brasileiro por meio da ficção, misturando memórias de Mino Carta, que esteve no comando de alguns dos principais veículos de imprensa do país, e fatos históricos narrados a partir da morte de Getúlio Vargas…


Novo livro de Juli Zeh é lançado no Brasil

postado por Andreia Santana @ 11:29 AM
20 de abril de 2013

Corpus delicti, novo livro da escritora alemã Juli Zeh, autora do aclamado A menina sem qualidades, chega ao mercado editorial brasileiro agora em abril, pela Editora Record. Corpus delicti foi comparado pela crítica internacional ao clássico 1984, de George Orwell, por apresentar uma discussão parecida: a intervenção do estado, em um futuro distópico, na vida, autonomia e até no corpo (e consequentemente, na sexualidade) dos indivíduos.

O novo romance de Zeh é descrito em sinopse enviada pela Record, como um misto de ficção científica e thriller político. O livro trata de uma sociedade futura totalmente amparada pelo conhecimento científico, que garante aos homens a mais perfeita saúde física, num mundo livre de doenças. Conta a história da bióloga Mia Holl, para quem esse método científico assegura uma existência automática e livre de conflitos, até tornar-se o motivo da condenação de Moritz, seu jovem irmão idealista, por um crime que ele afirma não ter cometido, colocando Mia em confronto direto com o regime.

Juli Zeh é considerada uma das intelectuais mais influentes da Alemanha na atualidade, A menina sem qualidades, publicado pela Record em 2009, é uma reflexão filosófica sobre a falta de moral e suas consequências. A história ganhou adaptação para a TV, em uma série de 12 episódios produzida pela MTV Brasil e dirigida por Felipe Hirsch, com estreia no próximo dia 27 de abril.

Além disso, a Record também anuncia que o romance de estreia de Zeh, vencedor do Prêmio Livro Alemão do Ano, em 2001, Adler und Engel, será publicado no Brasil ainda este ano pela editora.

Ficha Técnica:

Corpus delicti

Autora: Juli Zeh

Tradução: Marcelo Backes

Editora Record / Grupo Editorial Record

256 páginas

Preço: R$ 39,90

*Com informações enviadas pela Editora Record


The Killing ganha adaptação literária

postado por Andreia Santana @ 5:01 PM
24 de março de 2013

Cena da série The Killing dinamarquesa. Romance é ambientado em Copenhague e inspira-se no roteiro da série original e não na recriação norte-americana

The Killing, cultuada série policial da tv dinamarquesa, recentemente reproduzida nos Estados Unidos, ganhou uma versão literária baseada no roteiro original de Søren Sveistrup, A série conquistou prêmios como o BAFTA, Melhor Produção Europeia no Festival de TV de Monte Carlo e diversas indicações ao Emmy Internacional. Já o romance homônimo é escrito pelo autor de ficção policial David Hewson. No Brasil, o livro chega ao mercado editorial agora em março, pela Record.

Leia a sinopse de The Killing enviada ao blog pela editora:

É o último dia de Sarah Lund como investigadora da polícia de Copenhague. Além de aproximá-la do namorado, a mudança para a Suécia pretende acabar com a rotina estressante de Sarah no trabalho e, quem sabe, melhorar um pouco o relacionamento dela com Mark, o filho do primeiro casamento. Contudo, quando o corpo da estudante de 19 anos Nanna Birk Larsen, brutalmente estuprada e assassinada, é encontrado em uma floresta nos arredores da cidade, Sarah precisa mudar seus planos e adiar sua viagem para comandar a investigação ao lado do recém-chegado Jan Meyer.

A família de Nanna luta para sobreviver à terrível perda. Quem poderia ter cometido um crime tão cruel? Nanna era uma jovem bonita, popular e inteligente. Porém, nada é perfeito, e segredos da vida da menina, assim como da de seus pais, acabam sendo revelados.

Enquanto os Birk Larsen tentam superar os últimos acontecimentos, o político Troels Hartmann está em campanha para a prefeitura de Copenhague. A batalha torna-se mais vil a cada dia, já que Poul Bremer, homem que ocupa o cargo atualmente, não medirá esforços para continuar no poder. Quando conexões entre os candidatos e o assassinato de Nanna subitamente vêm à tona, o caso toma novas direções.

Num período de vinte dias, uma sucessão de suspeitos é investigada enquanto a violência e as intrigas políticas desviam o foco da busca pelo culpado. A determinada Sarah Lund, com o apoio do relutante Jan Meyer, deverá lutar para descobrir novas pistas, muitas vezes esbarrando em problemas hierárquicos e jogos de poder. Apenas uma coisa é certa: um assassino está à solta…

Ficha Técnica:

The Killing

Autor: David Hewson

Tradução: Gustavo Mesquita

Grupo Editorial Record | Editora Record

770 páginas

Preço: R$ 69,90


Livro erótico de canadense promete desbancar E.L.James

postado por Andreia Santana @ 1:08 PM
15 de março de 2013

“Sem julgamentos. Sem limites. Sem vergonha”. Com esse mote, o livro S.E.G.R.E.D.O, da produtora de TV canadense Lisa Gabriele, que na obra usa o pseudônimo de L. Marie Adeline, promete desbancar a hegemonia de Cinquenta Tons de Cinza, da britânica E. L. James. Lançado no Brasil este ano pela Globo Livros e pegando carona na onda das obras eróticas que conquistam cada vez mais leitores, S.E.G.R.E.D.O. teve um começo de carreira promissor no mercado internacional: o romance esteve entre os mais disputados de temática sexual na última feira de Frankfurt, em outubro passado.

O sucesso do livro, garante sua autora, é que a obra, ao contrário do concorrente Cinquenta Tons, traz como protagonista uma mulher comum, inspirada em muitas outras que deixaram sua sexualidade de lado por repressão ou obrigações sociais e agora não vê a hora de retomar os rumos da própria libido.

S.E.G.R.E.D.O, de acordo com sinopse fornecida pela editora, apresenta um tipo de literatura erótica que traz à tona a força feminina. O livro conta a história de Cassie, uma viúva de 35 anos que vive sem nenhum luxo em um quarto alugado, trabalha como garçonete em Nova Orleans e tem uma vida amorosa inexistente. A heroína da história deixou para trás as incertezas de um casamento com um marido alcoólatra e egoísta para descobrir seu potencial como mulher. Ela é chamada a participar de uma sociedade secreta essencialmente feminina, que tem por objetivo ajudar as mulheres a entrar em contato com seu lado sexual. Dentro da sociedade, as integrantes são convidadas a redescobrir a feminilidade e sensualidade a partir das fantasias que elas mesmas escolhem. Os homens retratados pelo romance, apenas ajudam a organização a realizar os desejos mais íntimos das participantes em cada um de passos que elas tem de concluir rumo à libertação sexual…

Erotismo feminino feito por homens - Na mesma leva de S.E.G.R.E.D.O, a Editora Record publica no país o primeiro volume da série 80 DiasA cor da luxúria. O romance erótico, descrito pela editora como ousado, aborda os demônios que tanto homens quanto mulheres podem encontrar ao buscar o prazer sem limites. O diferencial da série é que ela é escrita por dois homens, dois escritores conhecidos no mercado internacional que preferiram o anonimato e assinam a obra como uma mulher, Vina Jackson.

A cor da luxúria, que também se vende como “um romance erótico com mais nuances que o cinza”, em clara alusão ao livro de E. L. James, conta a história de Summer Zahova, uma violinista clássica que se muda para Londres com o sonho de viver da música. Na cidade, ela conhece Dominik, professor universitário e herdeiro de uma família rica. Juntos, eles embarcam numa jornada erótica que força ambos a irem além dos próprios limites, despertando desejos cada vez mais perigosos e prazeres desconhecidos. Considerado best seller do Sunday Times, o livro vendeu 200 mil exemplares nos Estados Unidos apenas no lançamento.

Fichas Técnicas:

S.E.G.R.E.DO – Sem julgamentos. Sem limites. Sem vergonha

Autor: L. Marie Adeline

Tradução: Cecilia Giannetti

224 páginas

Editora: Globo Livros

Preço: R$ 29,90

 

80 dias: A cor da luxúria

Autor: Vina Jackson

Tradução: Regiane Winarski

280 páginas

Grupo Editorial Record/ Editora Record

R$ 29,90


Romance sobre Guerra do Contestado é reeditado

postado por Andreia Santana @ 11:20 PM
12 de setembro de 2012

A Guerra do Contestado, ocorrida entre 1912 e 1916, na fronteira entre Paraná e Santa Catarina, completa 100 anos em 2012 e para lembrar a data histórica, o Grupo Editorial Record relança O Bruxo do Contestado, romance de Godofredo Oliveira Neto inspirado no conflito. O romance revisita os turbulentos dias da guerra ocorrida nos primeiros anos da República e causada por problemas ligados às disputas territoriais, falta de regularização da posse da terra e interesses políticos. O estopim da Guerra do Contestado foi a disputa entre Paraná e Santa Catarina por áreas ricas em erva-mate e madeira, mas a guerra acabou ganhando contornos mais dramáticos por conta do fanatismo religioso representado pelo messianismo.

Balé e guerra fria - Também da Record, e para quem gosta de literatura estrangeira, chega às livrarias este mês o romance de estreia de Daphne Kalotay, Inverno Russo. A sinopse divulgada pela editora mostra que o livro tem a maior cara de virar roteiro de filme. Alternando-se entre a Boston dos dias atuais e a Moscou da guerra fria, Inverno russo narra a jornada de Nina Revskaya, bailarina do Bolshoi que se tornou parte da elite cultural stalinista antes de fugir para os Estados Unidos. Nina acredita ter abandonado seu passado, mas quando, décadas depois, decide leiloar sua coleção de joias, Grigori Solodin, um professor de russo da Universidade de Boston, cruza o seu caminho, e esse encontro vai obrigá-la a confrontar seus fantasmas.

Fichas Técnicas:

O bruxo do Contestado

Autor: Godofredo de Oliveira Neto

Editora Record

264 páginas

Preço: R$ 29,90

 

Inverno russo

Autor: Daphne Kalotay

Tradução: Maria Alice Máximo

Editora Record

476 páginas / Preço: R$ 39,90


Carte Blanche resgata o bom e velho agente 007

postado por Andreia Santana @ 12:48 AM
30 de junho de 2012

Por Bruno Porciuncula

Ação, suspense e o fino humor inglês. Esta trinca imortalizada por Ian Fleming nos 14 livros com o espião James Bond está de volta em Carte Blanche, nova aventura do agente 007, escrita pelo americano Jeffrey Davey, que a editora Record lança no Brasil.

O escritor, autor de sucessos como O Colecionador de Ossos, foi escolhido pela Ian Fleming Publications para escrever a quadragésima terceira missão de James Bond na literatura – depois da morte de Fleming, outros escritores continuaram a utilizar o personagem, sem o mesmo sucesso. E, com a benção da família do criador, tomou algumas liberdades.

A Guerra Fria e os anos 60 foram deixados de lado e estamos em 2011. Agora, James Bond tem 30 anos e é um ex-combatente da Guerra do Afeganistão recrutado pela ODG (Overseas Development Group), agência criada na Inglaterra após os atentados do 11 de setembro, nos Estados Unidos. Apesar desta nova sigla, a função é praticamente a mesma do MI6, que ainda existe na trama: proteger o Reino Unido de qualquer ameaça.

O serviço de inteligência britânico recebe a informação de que um atentado vai custar milhares de vidas e prejudicar os interesses da terra da rainha. Com poucas pistas na mão, e apenas uma semana para evitar o pior, Bond vai para Sérvia, Dubai e África do Sul tentar descobrir mais sobre a catástrofe e impedí-la. Durante as investigações, descobre uma conexão entre o irlandês Neil Duhanne e a multinacional especializada em reciclagem de lixo, Green Way International, comandada por Severan Hydt. O agente secreto então terá que usar de sua habilidade e inteligência para acabar com o plano.

O chefe continua o mesmo, M. As secretárias, idem: Miss Monneypenny e Mary Goodnight, esta última, do próprio Bond. E, claro, não poderia faltar a seção Q, responsável pela criação das tradicionais bugingangas, como um iPhone adaptado e rebatizado de iQPhone e um inalador com uma microcâmera. O agente 007 volta a pilotar o seu tradicional Bentley e, assim como nos livros, nada de Martini. Os dois amigos e aliados de Bond, os agentes Felix Leiter, dos Estados Unidos, e Renés Mathis, da França, também aparecem na aventura, em participações que não soam forçadas.

Utilizando uma narração fluida, apesar do excesso de siglas característicos de um livro que envolve agências governamentais, Jeffrey Davey consegue envolver o leitor. Nada do que escreve é excessivo. Cada personagem ou ação que apresenta tem uma função importante na história, sem espaços para se alongar no que não interessa. E a trama é bastante atual, com empresas politicamente corretas envolvidas em guerras e atentados. A conclusão é surpreendente e bem amarrada pelo escritor.

O mais importante, porém, foi manter a personalidade do James Bond literário. Jeffrey Davey conseguiu captar o personagem, que não é um assassino frio e calculista como o cinema, mais atualmente com o ator Daniel Craig, tenta nos apresentar. Os vilões também são bem delineados e têm suas esquisitices típicas do universo de 007: o irlandês evita ao máximo demonstrar qualquer emoção e Severan Hydt tem atração física por corpos humanos em decomposição.

Carte Blanche não é só um belo exemplar de uma aventura de James Bond. É um livro policial capaz de agradar a todos que gostam do gênero.

Infelizmente, não veremos uma nova aventura do espião pelas mãos do escritor. A Ian Fleming Publications já escolheu o próximo a escrever um novo livro de James Bond: o ganense William Boyd, que já anunciou que a história vai se passar em 1969.

Ficha Técnica:

Carte Blanche

Autor: Jeffery Deaver

Tradutor: Ricardo Gomes Quintana

Editora: Record

462 páginas

Preço: R$ 49,90