Arquivos do Blog


Livro une Machado de Assis aos hábitos alimentares do século XIX

postado por Andreia Santana @ 2:46 PM
30 de dezembro de 2010

O escritor Machado de Assis é conhecido por sua narrativa peculiar, a fina ironia dos diálogos travados por seus personagens e a perspicácia com que teceu crônicas memoráveis da Corte (Rio de Janeiro) durante o final do segundo império (D. Pedro II) e o começo da república. Mas o que pouca gente sabe é que o fundador da Academia Brasileira de Letras (ABL) era um assíduo frequentador de cafés e confeitarias naquela belle epoque carioca. Machado de Assis adorava doces e fazia tour pelas casas do gênero no centro do Rio. Ao menos, no livro Machado de Assis – relíquias culinárias (Ed. Fundação Unesp), a cientista social Rosa Belluzo recria o ambiente dos bares e restaurantes da época machadiana e entrelaça a história da gastronomia e seus desdobramentos culturais com um inventário de receitas ricamente ilustrado.

O livro ensina ao leitor, por exemplo, como fazer um chocolat à la creme como aquele servido nas bodas de prata da princesa Isabel e do conde d’Eu, em 15 de outubro de 1889, ou o sorvete de pitanga que D. Pedro II, acompanhado da imperatriz, ia apreciar na sala reservada da Confeitaria Francioni. Além disso, conta como o cardápio brazuca foi aprimorado pela introdução da manteiga francesa, batata-inglesa (batata do reino), o chá, o gelo e, curiosamente, o tomate, que embora nativo da América tropical, só chegou ao Brasil naquele tempo.

As cenas narradas em romances, crônicas e contos de Machado dão pistas à autora, que mapeou os bares, restaurantes e confeitarias citados pelo autor e recuperou seus cardápios, reconstituindo as receitas da época.

Quem é Rosa Belluzzo? - Bacharel em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), pós-graduada em Cooperação Cultural Iberoamericana pela Universidade de Barcelona e pesquisadora na área de antropologia cultural e história da alimentação. Em 2009, publicou São Paulo – Memória e Sabor, pela Editora Unesp – obra agraciada com Prix dela Litterature Gastronomique, concedido pela Assembleia Geral da Academia Internacional de Gastronomia (AIG). Ganhou o Prêmio Jabuti em 1999 pelo livro Cozinha dos imigrantes – memórias e receitas e o Gourmand World Cookbook Awards 2004 pela obra Sabores da América – Cuba, Jamaica, Martinica e México.

Ficha técnica

Machado de Assis – Relíquias culinárias
Rosa Belluzzo
156 páginas
Preço: R$ 80
Editora: Fundação Editora da Unesp : www.editoraunesp.com.br ou www.livrariaunesp.com.br


Festa de Santa Bárbara ganha livro comemorativo

postado por Andreia Santana @ 12:15 AM
5 de dezembro de 2010

Os 300 anos da Festa de Santa Bárbara são contados em livro lançado neste sábado, durante a celebração para a padroeira, em Salvador. Com 78 páginas, 24 fotos e mapas, o livro- publicação da Secretaria Estadual de Cultura e IPAC (Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia) traz artigos inéditos sobre a santa católica, a deusa yorubá Oyá (Iansã) e a devoção que atrai milhares de pessoas de vários lugares do Brasil e do mundo para participarem da manifestação que acontece no Centro Histórico de Salvador, todos os anos, em 4 de dezembro. A obra passará a ser distribuída a partir do dia 20 de dezembro.

Festa de Santa Bárbara é a quinta edição da série Cadernos do IPAC que, de 2007 a 2010, já publicou livros sobre Pano da Costa, Festa da Boa Morte, Carnaval de Maragojipe e Desfile dos Afoxés, este último lançado em 30 de novembro, no Palácio da Aclamação.

Os livros serão distribuídos para bibliotecas de todo o estado através da Fundação Pedro Calmon – parceira das edições Cadernos do IPAC – e trabalhados pelos sistemas públicos de ensino estadual e municipal.

Interessados em receber a publicação devem encaminhar ofício ao gabinete do IPAC via email: ouvidoria.ipac@ipac.ba.gov.br.


Livro sobre o fascismo chega ao mercado editorial

postado por Andreia Santana @ 3:49 PM
27 de novembro de 2010

O ditador fascista italiano Benito Mussolini

Tempos de Fascismo: Ideologia, Intolerância e Imaginário – lançado oficialmente neste sábado, em São Paulo -, promete aos leitores, estudos de especialistas na história e na historiografia do fascismo, racismo e intolerância desde a Itália até o regime ditatorial no Brasil. A obra é coeditada pela Edusp, Arquivo Público e Imprensa Oficial e tem organização de Maria Luiza Tucci Carneiro e Frederico Croci.

O livro se pretende uma contribuição para a divulgação da memória e da trajetória de fatores como o racismo e a intolerância, valores ainda tão presentes na sociedade comtemporânea, mesmo após uma geração inteira nascida sob regimes democráticos. A função da obra, segundo sinopse informada pela editora, é oferecer ao público leitor estudos desenvolvidos por especialistas que, anualmente, se encontram para divulgar suas pesquisas e debater sobre a história e historiografia do fascismo.

No livro, o fascismo, o racismo e a intolerância são examinados sob diversos pontos de vista dadas as experiências particulares em países da Europa e da América Latina. Análises são feitas desde o totalitarismo na Itália, que serviu de modelo para o fascismo a nível internacional até os regimes autoritários lusitano e brasileiro, que fizeram do corporativismo um de seus eixos, construindo estratégias de controle social e organização do consenso.

O livro é dividido em quatro partes, sendo que a primeira, teórica, intitulada de “A Negação da Diferença”, oferece os fundamentos necessários para desenvolver um pensamento crítico; a segunda, “O Estado Novo Salazarista e os Inimigos do Regime”, discute as fórmulas de ação cultural e de propaganda política alardeadas pelo regime lusitano; a terceira, “O Estado Fascista Italiano: Intolerância, Repressão e Controle Social”, trata das suas ações sobre a vida privada, pública e política, o controle da História, o racismo e seus reflexos no rádio e na imprensa, aspectos importantes entre as duas guerras mundiais, e ainda traz um texto a respeito dos circuitos do antifascismo anarquista feminino; e a quarta parte, “Vozes da Intolerância” discorre sobre o fascismo à brasileira, influências sobre o samba, a expulsão de judeus durante o governo autoritário de Vargas, entre outros temas.

Pesquisadores renomados que participaram do livro são: Marcos Napolitano (USP), Maria Helena Rolim Capelato (USP), Marcos Seligmann-Silva (Unicamp), Mariana Cardoso Ribeiro (PROIN), Mario Sznadjer (Israel), Alberto De Bernardi (Bolonha), Luis Reis Torgal (Coimbra), Christiane Stallaert (Bélgica), entre outros.

Ficha técnica:

Tempos de Fascismo: Ideologia, Intolerância e Imaginário

Maria Luiza Tucci Carneiro e Frederico Croci (org.)

Editora: Edusp, Arquivo Público e Imprensa Oficial

498 páginas

preço não informado pela editora