Gláucia Lemos lança quinto romance da carreira

postado por Andreia Santana @ 3:32 PM
12 de setembro de 2013

Anote na agenda: a escritora baiana Gláucia Lemos vai lançar nesta sexta-feira, dia 13, às 19h, no ICBA (Corredor da Vitória), seu quinto romance e 36º título da carreira. Marce é editado pela Solisluna e conta a história da protagonista homônima, uma mulher de alma libertária, considerada “ovelha negra” pelos familiares que seguem padrões conservadores. O pano de fundo é um reencontro dos membros da família para a assinatura de um testamento. Leia reportagem de Mariana Paiva sobre o livro.

Ficha Técnica:

Marce

Autora: Gláucia Lemos

Editora: Solisluna

144 páginas

R$ 35,00


Paulo Bono reúne contos e crônicas de blog em livro

postado por Andreia Santana @ 3:27 PM
3 de junho de 2013

Espalitando, de Paulo Bono, será lançado nesta terça, dia 4, às 19h, na Visca Sabor & Arte (Rio Vermelho). O livro reúne as melhores crônicas e contos do blog Espalitando Dente, que Paulo mantém desde 2006. O incentivo para a publicação, segundo o autor, veio dos próprios leitores do blog.

Os textos  de Espalitando versam sobre sexo, trabalho, memórias de infância, Salvador e seus eternos problemas. “É um livro sobre o cotidiano de um publicitário gordo, sobre desventuras, sobre como é complicado viver, por mais simples que seja a vida”, define Bono.

O autor afirma ainda ter como fonte de inspiração para seus textos o escritor Charles Bukowski, a escrita de Pedro Juan Gutiérrez e algumas pitadas de Rubem Fonseca, João Ubaldo Ribeiro e Nelson Rodrigues. “Como também sou muito ligado em cinema e cultura pop, alguns textos bebem do Woody Allen, Tarantino e da série Seinfeld”.

Programe-se:

O quê: lançamento do livro Espalitando, de Paulo Bono

Quando: dia 04 de junho, às 19h

Onde: Visca Sabor & Arte (Rua Guedes Cabral, 123, Rio Vermelho)

 Ficha Técnica:

Espalitando

Autor: Paulo Bono

Editora Cousa

142 páginas

Valor: R$ 30,00

Visite o blog: www.espalitandodente.com.br


Livro busca entender The Walking Dead sob perspectiva filosófica

postado por Andreia Santana @ 3:02 PM
27 de maio de 2013

Depois de O Hobbit (J.R.R.Tolkien) e Guerra dos Tronos (George R.R. Martin), agora é a vez de The Walking Dead, série de TV inspirada em HQ homônima de Robert Kirkman, ser analisada sob a ótica da filosofia, em mais um volume da Coleção Cultura Pop, publicada no Brasil pela Editora Best Seller. The Walkind Dead e a filosofia promete uma análise da série apocalíptica a partir dos sistemas filosóficos de São Tomás de Aquino, Platão e Schopenhauer.

A ideia da obra é responder sob a ótica da filosofia questões do tipo: como encarar uma realidade em que os mortos andam e estão ávidos para devorar os vivos? Após o fim da civilização, é uma obrigação continuar seguindo leis? Zumbis ainda são pessoas e possuem direitos?

Essa última pergunta, inclusive, serve de mote para uma série britânica sobre zumbis que estreou em março deste ano na Inglaterra, com relativo sucesso, e já vem dando o que falar entre os fãs do gênero. Produzida pela BBC, In The Flesh (ainda sem tradução para o português, mas que em adaptação livre seria Na Carne), parte do pressuposto de que após um apocalipse zumbi e da cura para a zumbificação ter sido encontrada por cientistas, os infectados, embora continuem exibindo características físicas de mortos-vivos, voltam a ser capazes de pensar e se comunicar como no tempo em que eram vivos e perdem o interesse em devorar pessoas. O problema é que os zumbis reabilitados são tratados com preconceito pelos não infectados e mantidos em guetos.

A coleção Cultura Pop é organizada pelos professores Christopher Robichaud, que ensina ética em Harvand, e William Irving, que ensina no King´s College. A ideia é refletir sobre obras da literatura, cinema, quadrinhos e TV a partir das ideias e conceitos filosóficos de grandes pensadores.

Ficha Técnica:

The Walking Dead e a filosofia 

Autores: Christopher Robichaud e William Irving

Tradução: Patrícia Azeredo

Editora Best Seller / Grupo Editorial Record

98 páginas

Preço: 19,90


Aleilton Fonseca lança obra sobre Mário de Andrade em Salvador

postado por Andreia Santana @ 12:06 PM
23 de abril de 2013

O escritor baiano Aleilton Fonseca lança nesta quarta, 24, em Salvador, o livro O Arlequim da Pauliceia, sobre o poeta Mário de Andrade. O evento acontece a partir das 18h30, na Saraiva Megastore do Salvador Shopping (Av. Tancredo Neves, 2915).

Em O arlequim da Pauliceia, Aleilton Fonseca destaca o amor de Mário de Andrade pela cidade de São Paulo, ao mesmo tempo em que descobre novos sentidos na obra do autor. Compõem o livro ainda, fotografias das primeiras décadas do século 20. 

Leia a sinopse oficial: Esqueça a pressa. Pegue o bonde e viaje lentamente pela São Paulo do início do século passado em companhia de Mário de Andrade e de fragmentos de sua poesia. Este livro, de autoria de Aleilton Fonseca, é um túnel do tempo, um passeio pelo centro velho de Sampa, lembrando, de certa forma, o filme Meia noite em Paris, em que Woody Allen promove o encontro do protagonista com grandes escritores e pintores da belle époque. Textos e fotos se encaixam com perfeição para nos fazer voltar ao passado, mergulhando-nos na obra do modernista, que amou São Paulo como ninguém. Vista uma capa para se proteger da garoa que caía insistentemente sobre a cidade, tornando-a londrina e melancólica. E sinta como Mário de Andrade amou a maior megalópole do Brasil. Boa viagem. Você está em ótima companhia. “Prazer em conhecê-lo, meu caro Aleilton”, diria o modernista.

Ficha Técnica:

O Arlequim da Pauliceia

Autor: Aleilton Fonseca

Editora: Geração Editorial

296 páginas 

Preço: R$ 29,90

Antonio Cestaro transforma porquinho da índia em protagonista de novo livro

postado por Andreia Santana @ 3:05 PM
12 de abril de 2013

Napoleão é personagem de duas das crônicas de Uma porta para um quarto escuro (relembre resenha feita no blog) e o porquinho da índia do autor fez tanto sucesso que ganhou um livro exclusivo: As artimanhas do Napoleão e outras batalhas cotidianas, novo trabalho de Antonio Cestaro, lançado este mês pela Editora Alaúde (Grupo Alaúde e Tordesilhas).

No novo livro, que como o anterior também foi ilustrado pela designer Amanda Rodrigues Cestaro, filha do autor, o cronista se aproveita da “fofura” de Napoleão para falar das coisas banais do cotidiano em textos que versam sobre a condição humana, as relações interpessoais, a interação humanos x natureza e a vida nas grandes metrópoles.

Confira um trecho da sinopse divulgada pela editora:

 ”Napoleão é vegetariano e está namorando. Inteligente, aprendeu a se comportar em salas de concerto e foi sondado para participar de um desenho animado com grande campanha de mídia. Vive com o dono e a família do dono numa casa frequentada todos os dias pela Vânia, que os ajuda nos serviços domésticos. Eventualmente, visita o doutor Guildo, médico especializado em animais de grande porte que o atende em nome de uma amizade antiga. E frequenta também a dona Yolanda, vizinha da família e proprietária do Arquibaldo, um felino não muito confiável.”

Ficha Técnica:

 As artimanhas do Napoleão e outras batalhas cotidianas

Autor: Antonio Cestaro

Ilustradora:  Amanda Rodrigues Cestaro

Editora: Alaúde

100 páginas

Preço sugerido: R$ 45,00

 


Resenha: Xing Ling – made in China

postado por Andreia Santana @ 8:01 AM
6 de abril de 2013

Revolta baiana made in China

Victor Mascarenhas critica a decadência de Salvador e o mito da baianidade para turista ver em romance com forte sotaque gregoriano

Victor Mascarenhas é também roteirista

As citações a Antonio Risério, em crítica do antropólogo à obrigação do soteropolitano ser feliz os 365 dias do ano e à carta de demissão do governador-geral e fundador de Salvador, Tomé de Souza, que, de forma comovente, implorou a D. João III para dispensá-lo do pesado cargo, sinalizam o que o leitor irá encontrar nas breves 80 páginas de Xing Ling – Made in China, primeiro romance do escritor e roteirista Victor Mascarenhas, lançamento da Solisluna Editora.

Seja no ritmo caudaloso das palavras ou no tom revoltado e panfletário, de nítida conotação política, embora apartidária, o livro remete aos versos de escárnio do poeta colonial Gregório de Mattos, mas sem deixar de recordar o deboche do velho Cuíca de Santo Amaro, que, quando encarapitado em caixotes de feira, disparava farpas contra os poderosos da “Cidade da Bahia” em inspirados cordéis.

Xing Ling é anárquico até no nome, que faz referência às quinquilharias tecnológicas pirateadas pelos chineses. Mas, nem por isso, deixa de expor as feridas de uma Salvador em vias de desintegração. O livro, embora entretenha com seu tom escrachado e a narrativa mirabolante de filme de aventura, tem um objetivo mais sério: abrir consciências, tanto quanto a droga sintética Eparrey!, arma utilizada por um grupo de guerrilheiros esfarrapados no combate ao sistema – aqui representado pela grande indústria do entretenimento baiano – que envolve e espreme a cidade idealizada pelos portugueses para representar o poder da Coroa no Atlântico, tal qual os tentáculos de um polvo gigante.

Em resumo, a obra se passa em um futuro hipotético, quando o Pelourinho – patrimônio arquitetônico e cultural da humanidade pela Unesco – é transformado por um conglomerado empresarial chinês, numa espécie de Costa do Sauípe Intramuros do Dendê. O Centro Histórico, núcleo original da fundação de Salvador, é metaforizado no coração da capital, logo, em uma espécie de centro de força gravitacional de seu povo.

O “Pelô” de Xing Ling está cercado por muralhas e fossos eletrificados que mantêm a população nativa afastada, enquanto turistas estrangeiros e endinheirados abrem as bocas entediadas diante das suntuosas igrejas barrocas. Arte sacra, baianas, capoeiristas e toda a sorte de personagens míticas daquele cenário medieval, que embasbacavam cronistas e viajantes estrangeiros, como Maria Graham e Maximiliano da Áustria em tempos idos, e que inspiraram Jorge Amado, agora não passam de imitações em plástico ou atores contratados e controlados por chips para divertir os “gringos”.

Do lado de fora dos muros, um grupo de nativos se organiza e, usando a Eparrey! como o comprimido vermelho de Matrix (a referência à saudação a Iansã e à transcendência do Candomblé não são meras coincidências), tentam retomar o coração de Salvador e devolvê-lo ao seu povo, instaurando uma guerra civil para resgatar a identidade legítima dos baianos e abolir as distorções de uma baianidade fake.

Não faltam ironias disparadas contra os partidos de esquerda ou direita que se sucedem no poder e rateiam a cidade ora para um grupo empresarial, ora para outro. E, tampouco, o livro deixa de tocar nos males advindos da pasteurização da cultura baiana e sua reembalagem tipo exportação. Sobram tiros de Eparrey! para a axé music e seus ritmos derivados e para o fundamentalismo religioso que ameaça liberdades civis. Não deixa de haver, ainda, a crítica amargurada contra os próprios soteropolitanos, que, passivos e anestesiados (como a população descrita em Admirável Mundo Novo e suas doses de Soma) pela promessa de “eterno Carnaval”, assistem a transformação da cidade em um monstrengo de aço, vidro, engarrafamentos caóticos e injustiça social.

Xing Ling, com seu desfecho surpreendente e em aberto, é um desabafo pessoal de seu autor, mas que pretende representar os anseios coletivos de uma população que perdeu a si mesma nos exotismos da própria cultura.

Quem é – Victor Mascarenhas é escritor e roteirista. Já publicou dois livros, Cafeína, de contos e vencedor do Prêmio Braskem de Cultura e Arte de 2008, e A insuportável família feliz, em 2011, após ser um dos finalistas do Prêmio Off Flip, que ocorre em paralelo à Festa Literária Internacional de Paraty. No cinema, foi um dos roteiristas de Esses Moços (2010, José Araripe Jr.).

Ficha Técnica:

Xing Ling – Made in China

Autor: Victor Mascarenhas

Solisluna Editora

80 páginas

R$ 29,90

Serviço:

O quê – Lançamento do livro Xing Ling – Made in China

Quando – Terça-feira, 9 de abril, às 19h

Onde – Livraria Cultura do Salvador Shopping

Quando – Entrada gratuita. Livro vendido no local por R$ 29,90


Conrad lança HQ sobre Amy Winehouse

postado por Andreia Santana @ 10:30 AM
6 de fevereiro de 2013

Álbum sobre Amy abre série sobre artistas que morreram aos 27 anos

A Conrad lançará uma HQ sobre a breve e intensa carreira da cantora britânica Amy Winehouse, morta em julho de 2011. O álbum abrira uma série especial da editora chamada O clube dos 27, sobre músicos promissores e com vidas polêmicas, que morreram com essa idade, como Jim Morrison, Janis Joplin, Jimi Hendrix e Kurt Cobain.

O volume sobre Amy chegará ao mercado editorial em março próximo, com assinatura do trio francês Goffette, Eudeline e Fernandez.

A ideia da editora é lançar um álbum por ano. O próximo volume da série deve ser sobre o americano Kurt Cobain, ex-vocalista da banda Nirvana.


Galera Record lança quarto volume da série Assassin´s Creed

postado por Andreia Santana @ 6:30 PM
5 de dezembro de 2012

Depois do sucesso do game Assassin´s Creed III (leia análise aqui), o selo Galera, do Grupo Editorial Record, lança o quarto volume da saga no Brasil. Desenvolvida pelo escritor e historiador Oliver Bowden, a mais recente novelização do game, que terá ainda uma adaptação para o cinema em 2013, produzida e estrelada por Michael Fassbender (X-Men First Class e Prometheus), chega às livrarias brasileiras agora em dezembro, na esteira das ótimas vendas dos livros anteriores. Ao todo, a série bestseller já ultrapassou a casa dos 350 mil exemplares comercializados no país. Só o primeiro volume vendeu mais de 80 mil exemplares.

O quarto episódio chama-se Assassins’s Creed – Renegado. Nele, Bowden levará a luta entre a Irmandade dos Assassinos e a Ordem dos Cavaleiros Templários até a Guerra de Independência dos Estados Unidos. Na Londres do século XVIII, Haytham Kenway aprende a lutar assim que se torna capaz de empunhar uma espada. Quando a propriedade da família é atacada – o pai assassinado e a irmã raptada -, Haytham defende seu lar da única maneira que pode: com sangue. Sem família, o menino é treinado por um misterioso tutor que o transforma em um assassino mortal. Consumido pela sede de vingança, Haytham começa sua jornada em busca de retaliação…

Ficha Técnica:

Assassins’s Creed – Renegado

Autor: Oliver Bowden

Grupo Editorial Record / Galera

350 páginas

Preço: R$ 34,90


Jolivaldo Freitas lança livro novo nesta quinta

postado por Andreia Santana @ 6:06 PM
5 de dezembro de 2012

Para anotar na agenda: O jornalista e escritor Jolivaldo Freitas lança seu mais novo livro, Baianidade, Baianadas, Balangandãs & Mandigas, nesta quinta-feira, dia 6,  às 19h, na Associação Atlética da Bahia (Barra Avenida). Na publicação, Jolivaldo, também autor de Histórias da Bahia – Jeito Baiano (na terceira edição), volta a tratar da cultura e do imaginário pitoresco baiano, mesclando registros históricos, ‘causos’ e humor.


Selo Negro lança livro em Salvador nesta sexta

postado por Andreia Santana @ 12:52 PM
27 de novembro de 2012

O livro Mulheres negras do Brasil escravista e do pós-emancipação, publicação da Selo Negro Edições, será lançado nesta sexta-feira, dia 30, em Salvador, na Livraria LDM do Espaço Itaú Glauber Rocha (praça Castro Alves).

A obra é organizada pelos historiadores Giovana Xavier, Juliana Barreto Farias e Flavio Gomes e oferece um quadro amplo das experiências das mulheres negras, primeiras agentes da emancipação da comunidade de africanos e de seus descendentes na diáspora. No livro estão reunidos artigos de 20 importantes especialistas no tema, cobrindo o Brasil de norte a sul em termos teóricos e no uso de fontes diversas. A coletânea também passeia por cidades, plantations e áreas de mineração nos séculos XVIII, XIX e primeiras décadas do século XX.

Além dos três organizadores, assinam os textos de Mulheres negras do Brasil…: Adriana Dantas Reis, Antônio Liberac Cardoso Simões Pires, Camillia Cowling, Eduardo França Paiva, Flavia Fernandes de Souza, Isabel Cristina Ferreira dos Reis, Luciano Figueiredo, Marcelo Paixão, Maria Cristina Cortez Wissenbach, Maria Helena P. T. Machado, Mary Karasch, Paulo Roberto Staudt Moreira, Petrônio Domingues, Sandra Lauderdale Graham, Sandra Sofia Machado Koutsoukos, Solange P. Rocha e Valéria Gomes Costa.

A principal proposta do livro, segundo os historiadores, foi não somente caminhar a partir das mulheres, mas com elas e por meio delas. Por conta disso, os textos tiveram como centro da análise os percursos de pequenas biografias, em uma diversidade territorial que abrange grandes cidades escravistas, destacando principalmente os estados de Minas Gerais, Bahia, Paraíba, Goiás, Pernambuco, Sergipe, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro.

Outro diferencial do livro é a construção da narrativa de forma diferenciada da abordagem acadêmica tradicional. Além disso, os artigos possuem uma rica diversidade de fontes documentais utilizadas nas pesquisas, como processos, jornais, literatura, inventários, músicas, poesias, registros de óbito, de batismo, iconografia e etc.

Ficha Técnica: 

Mulheres negras no Brasil escravista e do pós-emancipação

Organizadores: Giovana Xavier, Juliana Barreto Farias e Flavio Gomes

Editora: Selo Negro Edições

320 páginas

Preço: R$ 79,90 (ebook R$ 55,90)

Mais informações no site: www.selonegro.com.br

*Com informações fornecidas pela editora