Editora baiana expõe parte do seu catálogo em Frankfurt

postado por Andreia Santana @ 11:43 AM
30 de setembro de 2013

Títulos editados pela Solisluna

A baiana Solisluna é uma das cinco editoras do Nordeste que irá participar da Feira Internacional do Livro de Frankfurt – a maior do mundo e que em 2013 (o evento acontece de 9 a 13 de outubro) homenageia o Brasil -, integrando o estande coletivo de produção nacional. O espaço é organizado pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), em parceria com o programa Brazilian Publishers da Câmara Brasileira do livro (CDL) e a Fundação Biblioteca Nacional (FBN).

A Solisluna levará 24 títulos de seu catálogo, entre infantis, juvenis, ficção adulta e cultura baiana, para expor em Frankfurt. Seis obras também vão constar do catálogo em inglês da Brazilian Publishers, que será distribuído durante o evento. A comitiva baiana contará com autores que já publicaram obras pela editora, que tem sede em Lauro de Freitas (Região Metropolitana de Salvador).

A equipe irá publicar noticias, fotos e impressões da feira na internet, vale acompanhar pelo endereço: blog.solislunaeditora.com.br.


Iêda Marques lança livro sobre a Chapada em Barreiras

postado por Andreia Santana @ 2:08 PM
15 de julho de 2013

A fotógrafa Iêda Marques vai lançar Lembranceiras, imaginário e realidade, livro em que através de fotos e textos retrata a cultura, modo de vida e costumes do povo da Chapada Diamantina, na cidade de Barreiras, localizada a 830 km de Salvador. O evento acontece no dia 18 de julho, próxima quinta-feira, a partir das 20h, no espaço cultural Trapiche (rua Amazonas, 126, Barreirinhas). Além da sessão de autógrafos, na ocasião também acontece uma exposição de monóculos e uma apresentação de voz e violão do músico Tarcísio Anjos.

Lembranceiras… (aqui tem resenha do livro) foi lançado em 2012, pela editora baiana Solisluna, e desde então tem percorrido um roteiro de participação em eventos literários pelo país. O livro já foi apresentado na 22ª Bienal do Livro de São Paulo, na Flica – Festa Literária Internacional de Cachoeira (recôncavo baiano) e na Flip – Festa Literária Internacional de Paraty (Rio de Janeiro). Em breve, será lançado também em Brasília (DF).


Enéas Guerra lança o infantil Que bicho doido! em livrarias de Salvador

postado por Andreia Santana @ 11:53 AM
20 de abril de 2013

O escritor e designer Enéas Guerra promove dois eventos de lançamento do seu livro infantil Que bicho doido! (Solisluna Editora), neste sábado, dia 20, e no próximo, dia 27, na Livraria Leitura dos shoppings Bela Vista e Salvador Norte Shopping, respectivamente. Os eventos ocorrem a partir das 17h, com sessão de autógrafos e oficina de máscaras, além de outras atividades para a garotada. A participação nos eventos é gratuita e o livro é vendido no local.

Concebido para crianças de 2 a 6 anos, com 32 páginas e capa dura, Que bicho doido! é uma história interativa, que permite às crianças trabalhar a imaginação e criar seus próprios bichos.

Programe-se e leve os guris:

O quê: Lançamento do livro infantil Que bicho doido!, de Enéas Guerra

Quando e onde: Livraria Leitura – sábado, dia 20, no Shopping Bela Vista, a partir das 17h; e sábado, dia 27, Salvador Norte Shopping, mesmo horário

Quanto: entrada gratuita e livro por R$ 35,00, vendido no local


Resenha: Xing Ling – made in China

postado por Andreia Santana @ 8:01 AM
6 de abril de 2013

Revolta baiana made in China

Victor Mascarenhas critica a decadência de Salvador e o mito da baianidade para turista ver em romance com forte sotaque gregoriano

Victor Mascarenhas é também roteirista

As citações a Antonio Risério, em crítica do antropólogo à obrigação do soteropolitano ser feliz os 365 dias do ano e à carta de demissão do governador-geral e fundador de Salvador, Tomé de Souza, que, de forma comovente, implorou a D. João III para dispensá-lo do pesado cargo, sinalizam o que o leitor irá encontrar nas breves 80 páginas de Xing Ling – Made in China, primeiro romance do escritor e roteirista Victor Mascarenhas, lançamento da Solisluna Editora.

Seja no ritmo caudaloso das palavras ou no tom revoltado e panfletário, de nítida conotação política, embora apartidária, o livro remete aos versos de escárnio do poeta colonial Gregório de Mattos, mas sem deixar de recordar o deboche do velho Cuíca de Santo Amaro, que, quando encarapitado em caixotes de feira, disparava farpas contra os poderosos da “Cidade da Bahia” em inspirados cordéis.

Xing Ling é anárquico até no nome, que faz referência às quinquilharias tecnológicas pirateadas pelos chineses. Mas, nem por isso, deixa de expor as feridas de uma Salvador em vias de desintegração. O livro, embora entretenha com seu tom escrachado e a narrativa mirabolante de filme de aventura, tem um objetivo mais sério: abrir consciências, tanto quanto a droga sintética Eparrey!, arma utilizada por um grupo de guerrilheiros esfarrapados no combate ao sistema – aqui representado pela grande indústria do entretenimento baiano – que envolve e espreme a cidade idealizada pelos portugueses para representar o poder da Coroa no Atlântico, tal qual os tentáculos de um polvo gigante.

Em resumo, a obra se passa em um futuro hipotético, quando o Pelourinho – patrimônio arquitetônico e cultural da humanidade pela Unesco – é transformado por um conglomerado empresarial chinês, numa espécie de Costa do Sauípe Intramuros do Dendê. O Centro Histórico, núcleo original da fundação de Salvador, é metaforizado no coração da capital, logo, em uma espécie de centro de força gravitacional de seu povo.

O “Pelô” de Xing Ling está cercado por muralhas e fossos eletrificados que mantêm a população nativa afastada, enquanto turistas estrangeiros e endinheirados abrem as bocas entediadas diante das suntuosas igrejas barrocas. Arte sacra, baianas, capoeiristas e toda a sorte de personagens míticas daquele cenário medieval, que embasbacavam cronistas e viajantes estrangeiros, como Maria Graham e Maximiliano da Áustria em tempos idos, e que inspiraram Jorge Amado, agora não passam de imitações em plástico ou atores contratados e controlados por chips para divertir os “gringos”.

Do lado de fora dos muros, um grupo de nativos se organiza e, usando a Eparrey! como o comprimido vermelho de Matrix (a referência à saudação a Iansã e à transcendência do Candomblé não são meras coincidências), tentam retomar o coração de Salvador e devolvê-lo ao seu povo, instaurando uma guerra civil para resgatar a identidade legítima dos baianos e abolir as distorções de uma baianidade fake.

Não faltam ironias disparadas contra os partidos de esquerda ou direita que se sucedem no poder e rateiam a cidade ora para um grupo empresarial, ora para outro. E, tampouco, o livro deixa de tocar nos males advindos da pasteurização da cultura baiana e sua reembalagem tipo exportação. Sobram tiros de Eparrey! para a axé music e seus ritmos derivados e para o fundamentalismo religioso que ameaça liberdades civis. Não deixa de haver, ainda, a crítica amargurada contra os próprios soteropolitanos, que, passivos e anestesiados (como a população descrita em Admirável Mundo Novo e suas doses de Soma) pela promessa de “eterno Carnaval”, assistem a transformação da cidade em um monstrengo de aço, vidro, engarrafamentos caóticos e injustiça social.

Xing Ling, com seu desfecho surpreendente e em aberto, é um desabafo pessoal de seu autor, mas que pretende representar os anseios coletivos de uma população que perdeu a si mesma nos exotismos da própria cultura.

Quem é – Victor Mascarenhas é escritor e roteirista. Já publicou dois livros, Cafeína, de contos e vencedor do Prêmio Braskem de Cultura e Arte de 2008, e A insuportável família feliz, em 2011, após ser um dos finalistas do Prêmio Off Flip, que ocorre em paralelo à Festa Literária Internacional de Paraty. No cinema, foi um dos roteiristas de Esses Moços (2010, José Araripe Jr.).

Ficha Técnica:

Xing Ling – Made in China

Autor: Victor Mascarenhas

Solisluna Editora

80 páginas

R$ 29,90

Serviço:

O quê – Lançamento do livro Xing Ling – Made in China

Quando – Terça-feira, 9 de abril, às 19h

Onde – Livraria Cultura do Salvador Shopping

Quando – Entrada gratuita. Livro vendido no local por R$ 29,90


Cau Gomez lança Pastinha em Minas Gerais

postado por Andreia Santana @ 2:05 PM
12 de novembro de 2012

Cau Gomez lança Pastinha em seu estado natal

O cartunista, ilustrador e artista gráfico Cau Gomez, mineiro radicado na Bahia e também integrante da equipe de A TARDE, fará o lançamento do livro Pastinha – O menino que virou mestre de capoeira, publicação da Solisluna Editora, em Belo Horizonte. O lançamento da obra infanto-juvenil, ilustrada por Cau e escrita pelo jornalista baiano José de Jesus Barreto, ocorrerá nesta terça, dia 13, às 19h, na Livraria Mineiriana.

Pastinha foi um dos finalistas do 54º Prêmio Jabuti, na categoria infanto-juvenil. O livro conta a história da infância de mestre Pastinha, um dos maiores capoeiristas da Bahia e principal difusor da capoeira Angola. Mestre Pastinha, já adulto, concedeu uma entrevista, em 1967, onde contava episódios de sua infância, passada no Centro Histórica de Salvador, e também relebrava sua iniciação à capoeira, ainda criança, com um velho africano de etnia banto. A entrevista foi usada como material de pesquisa por José de Jesus Barreto, que é ainda autor de um outro livro, este para adultos, sobre mestre Pastinha. Completam a história, ajudando o leitor a entrar no clima da “velha Bahia”, as ilustrações de Cau Gomez, que além de retratar em forma de desenho as passagens da infância de Pastinha, ainda ilustra um glossário com os principais movimentos da capoeira angola, anexo ao final da história. Completam o material, duas fotos de Pastinha, feitas pela escritora e fotógrafa Zélia Gattai, na primeira metade dos anos 60.

Ficha Técnica:

Pastinha – O menino que virou mestre de capoeira

Autor: José de Jesus Barreto

Ilustrações: Cau Gomez

Solisluna Editora

32 páginas

Preço: R$35,00


Livros para encher o Dia da Criança de fantasia

postado por Andreia Santana @ 4:15 PM
11 de outubro de 2012

O Dia da Criança, nesta sexta, dia 12, é uma ótima oportunidade para incentivar nos pequenos o hábito da leitura. Mas, não basta apenas comprar um livro e entregar para a criança. O hábito da leitura precisa ser estimulado como algo prazeroso e lúdico desde a primeira infância. Para os menorzinhos, que ainda não leem sozinhos, nada mais estimulante do que contar-lhes uma história, fazendo a criança interagir com o objeto livro e também com o universo da história lida ou contada. Para ajudar na escolha de um bom título para presentear a meninada e incentivar essa imersão no mundo da fantasia, o blog fez uma lista com dicas de lançamentos ou obras de catálogo que merecem ser conhecidas. Confiram abaixo, escolham aquele que mais se identifica com o seu pequeno e boa leitura!

Direto da Bahia, dicas da Solisluna Editora:

Pastinha – O menino que virou mestre de capoeira - Narra a infância do principal mestre de capoeira angola da Bahia, que na infância era um menino miudinho e franzino, de origem humilde, criado no Pelourinho e aprendeu capoeira com um velho africano, como forma de escapar das rixas com garotos mais velhos e mais fortes. A história traz também informações interessantes sobre a cultura baiana no começo do século XX e diverte crianças e adultos.

Autor: José de Jesus Barreto

Ilustrações: Cau Gomez

32 páginas / R$ 35,00

Vaporzinho – Conta para as crianças a história do Vapor de Cachoeira, navio que no século XIX ligava Salvador ao recôncavo baiano,  através da baía-de-Todos-os-Santos, usando para isso poesia e desenhos em aquarela e crayon em pintura digital. O livro traz ainda recursos didáticos como um mapa do trajeto do Vapor de Cachoeira e dados sobre a história da embarcação.

Autor e ilustrador – Enéas Guerra

36 páginas

Preço: R$ 35,00

Cirilo, o dragão que sonhava ser bombeiro - Conta a história de Cirilo, um dragãozinho de linha real que desde pequeno tinha fascínio pela água e gostava de nadar e brincar de tocar fogo em arbustos, só para esguichar água depois e apagar o pequeno incêndio.

Autor: Carolina Bacelar

Ilustrador: Enéas Guerra.

Preço: R$ 25,00

Ibejis - O livro traz a história dos orixás gêmeos, filhos de Xangô e Iansã, que no catolicismo foram sincretizados com São Cosme e São Damião, revelando para as crianças a riqueza da cultura que gravita em torno do tradicional caruru.

Texto e ilustrações de Edsoleda Santos

Preço: R$ 35,00

Oxum -  A obra resgata e traduz para o universo infantil a lenda de Oxum, orixá das águas doces, recolhida e divulgada pelo fotógrafo e etnólogo Pierre Verger.

Texto e ilustrações de Edsoleda Santos, com base na obra de Pierre Fatumbi Verger

Preço: R$ 35,00

Oxalufã - Oxalufã, o rei de Ifan, decide ir visitar o amigo Xangô, rei de Oyó. A viagem é longa, são muitos dias de marcha entre desertos, florestas e savanas. Antes de ir, ele é advertido pelo babalaô da Corte, que alerta: a viagem será perigosa, mas Oxalufã resolve arriscar. Nessa obra, a lenda do orixá Oxalufã (uma qualidade de Oxalá em idade avançada) são resgatadas e adaptadas para as crianças as histórias recolhidas por Verger na África e as versões feitas por Carybé e Reginaldo Prandi.

Autor: Renato da Silveira

Ilustrações: Edsoleda Santos

Preço: R$ 35,00

Saíra Sete Cores - Conta a história de um passarinho de cores fortes e vibrantes, que nasce, cresce, encontra um amor e tem seus próprios filhotes. A autora usa a trajetória do pássaro para descrever em linguagem poética, as estações do ciclo da natureza – verão, outono, inverno e primavera.

Autora: Débora Knittel

Ilustrações: Naara Nascimento / Preço: R$ 42,00

Margarida Bem-me-quer –  Escrito em poema com versos curtos, conta a história de um jardim onde mora uma margarida muito especial. O leitor acompanha a rotina da florz desde o amanhecer até o anoitecer e, a partir do ponto de vista dela, enxerga o mundo de insetos, pássaros e outras flores que revelam o encanto da natureza.

Autora: Débora Knittel

Ilustrações: Enéas Guerra

Preço: R$ 42,00

A dama de branco - Desde o primeiro dia de aula, Lucas fica amigo de uma coleguinha. Mas, certo dia, a menina não aparece na escola e Lucas fica sabendo que ela havia morrido. No enterro, uma mulher de branco se aproxima dele e começa a explicar o que é a morte. A abordagem da temática é feita de forma suave e inteligente pela psicóloga Graziela Domini Peixoto. Por meio de um ambiente encantado, Lucas perde o medo e entende melhor esse fenômeno inevitável da vida.

Autor: Graziela Domini

Ilustrações: Edsoleda Santos

Preço: R$ 35,00

Papai Noel existe, mamãe? - O livro reconta a história do Papai Noel, que no livro é um homem que trabalha normalmente e ainda faz presentes para crianças. Mas os pedidos aumentam tanto que um dia ele não consegue mais dar conta de tudo. As crianças sugerem uma solução e os pais unem forças para ajudar na tarefa de presentear todo mundo.

Autor: Graziela Domini

Ilustrações: Ian Sampaio

Preço: R$ 35,00

O dragão do Ventre de Ouro - Carlos Looendvog tinha doze anos de idade e uma vida muito parada até um pitbull atacá-lo na véspera das férias de verão. O cachorro é apenas uma das muitas materializações físicas de Enácio Choufer, um vilão movido pelo ciúme do sucesso profissional do pai de Carlos, o Sr. Jimmy, que trabalha como caçador de dragões. O perigoso Enácio faz de tudo para sugar a essência vital do único filho dos Looendvogs. Encontrar o ovo do dragão do ventre de ouro é o desafio do jovem herói no primeiro episódio da série A Saga de Carlos Looendvog.

Autor: Éric A. A. Oliveira

Ilustração: Athos Sampaio

Preço: R$ 25,00

Dicas de editoras nacionais: 

Charles na Escola de Dragões - Diferente dos seus colegas, o dragão Charles faz poesia e não cospe fogo nos cadernos como mandam as professoras. A obra de Alex Cousseau, com ilustrações de Philippe-Henri Turin, se inspira no famoso poema O albatroz, de Charles Baudelaire. O livro conta a história de um pequeno dragão que acaba de ingressar na escola. Franzino e sem destreza para o voo, ele foge aos padrões de seus colegas de classe, que lhe provocam o tempo todo por ele ser diferente.

Autor: Alex Cousseau

Ilustrador: Philippe-Henri Turin

Editora FTD

48 páginas e acabamento em capa dura / Valor: R$ 60,70

O mistério do bolso furado - Numa manhã de sol, Zero Vírgula Zero Cinco, uma moeda de cinco centavos que prefere ser chamada de Pratinha, cai de um bolso furado e dá com a cara no chão. A partir daí, o leitor é convidado a acompanhar a trajetória da moedinha, que passa de bolso em bolsa, de mala a mochila, desde que saiu da Casa da Moeda, junto com outras milhares de pratinhas iguais a ela. A ideia é mostrar para as crianças, de forma divertida, qual é o caminho do dinheiro até chegar às mãos das pessoas.

Autor: Cleusa Maria

Editora Galerinha

80 páginas

Preço: R$ 24,90

 Aí é outra história… - Maurício Veneza resolveu criar diferentes finais para contos de fadas consagrados como A bela adormecidaCinderela e O príncipe sapo. O livro tem ilustrações do próprio autor. que também convida as crianças para escreverem novos personagens e inventarem outros finais para os seus contos preferidos.

Autor: Maurício Veneza

Editora Galerinha

40 páginas

Preço: R$ 37,90

 

Mwindo - O que mais pode acontecer de estranho na vida de alguém que, em vez de nascer da barriga da mãe, nasceu do dedo? Mwindo, sétimo filho do rei Shemwindo, está jurado de morte pelo próprio pai e, para escapar, irá contar com a ajuda de seres divinos, teias de aranha superpoderosas e habilidades de dança. A história de nobreza, inteligência e coragem é inspirada nas lendas do continente africano.

Autor: André Diniz e Jacqueline Martins

Editora Galerinha

64 páginas

Preço: R$ 32,90

Diário de uma garota nada popular 3,5 - Nikki Maxwell, personagem de uma série juvenil homônima que já tem mais de 100 mil leitores no Brasil, perde seu caderno inseparável e na busca pelo objeto, se envolve em muitas aventuras, enquanto dá dicas criativas sobre o que os leitores podem escrever em seus próprios diários.

Autor: Rachel Renée Russell

Editora Verus

280 páginas

Preço: R$ 29,90

Artemis fowl: uma aventura no Ártico (graphic novel) - O menino gênio do crime, Artemis Fowl, personagem juvenil consagrado do irlândes Eoin Colfer, está de volta em versão graphic novel. Um dos livros da série, Uma Aventura no Ártico, já lançado anteriormente no Brasil, foi adaptado para os quadrinhos e chega às livrarias agora em outubro. Para quem não conhece Fowl, o menino é um rico herdeiro de uma família renomada de bandidos internacionais, que conseguiu aumentar a fortuna da família após roubar o mítico ouro das fadas. Os livros da série são indicados para leitores adolescentes  e misturam a mitologia britânica com altíssima tecnologia, já que Fowl é um gênio da computação. Nesse episódio, ele precisa resgatar seu pai, sequestrado pela máfia russa, e para conseguir lutar contra rivais tão perigosos, precisará justamente da ajuda das fadas.

Autor: Eoin Colfer

Editora: Galera Record

132 páginas / Preço: R$ 29,90

A bolsa amarela - Raquel é uma menina com problemas de auto-estima que tem três grandes vontades: ter nascido menino, se tornar adulta e virar escritora. A família de Raquel parece não compreender a enorme imaginação da garota e por ela ser o que se chamava antigamente de “filho temporão”, seus pais já estão sem paciência para educá-la, enquanto os irmãos mais velhos vivem pegando no seu pé. A família de Raquel é bem pobre e uma tia rica vive enviando sobras de seu guarda-roupa para as sobrinhas. Num dos pacotes, uma bolsa amarela que ninguém quer acaba sendo adotada pela menina como uma espécie de mundo secreto, onde ela guarda suas vontades e histórias…

Autora: Lygia Bojunga

Editora: Casa Lygia Bojunga

135 páginas

Preço: R$ 26,00

Ponte para Terabítia - Escrito para o filho da escritora Katherine Paterson, o livro conta a história da amizade entre Jess Aarons e Leslie Burke. Ele é o único menino em uma família com quatro irmãs e ela é filha única de um casal de intelectuais. Enquanto Jess é reprimido pelo pai e precisa sempre atender as expectativas de sua mãe, além de lidar com as implicâncias das irmãs mais velhas e a idolatria da caçula, Leslie é criada com liberdade e incentivo à imaginação e aos seus talentos naturais. Após conhecer o frágil Jess na escola, Leslie o ensina o poder da leitura e da fantasia como aliadas para vencer as adversidades da vida real.

Autora: Katherine Paterson

Tradução: Ana Maria Machado

Editora: Salamandra

160 páginas / Preço: R$ 37,50

Odd e os gigantes de Gelo - Ambientado na fria Noruega, o livro narra a história do menino vicking Odd. Órfão de pai, ele tem uma perna defeituosa e é considerado meio bobo na aldeia onde vive com a mãe, o padrasto e os irmãos postiços. Numa noite em que decide se mudar para a antiga cabana de caça do pai falecido, Odd conhece três incríveis animais, uma águia, um urso e uma raposa, que o conduzem para uma jornada em busca da salvação para o Asgard, o reino dos Aesir (os deuses nórdicos), que foi capturado pelos gigantes de gelo, condenando a terra a um frio eterno.

Autor: Neil Gaiman

Ilustrações: Brett Helquist

Tradução: Maria Beatriz Branquinho

Editora: Rocco

126 páginas

Preço R$ 20,00


Livro infantil baiano é finalista do Prêmio Jabuti

postado por Andreia Santana @ 12:47 AM
21 de setembro de 2012

Cau Gomez traduziu a infância de Pastinha em desenhos

O livro Pastinha – O Menino Que Virou Mestre de Capoeira, do jornalista baiano José de Jesus Barreto e do designer, chargista e artista gráfico mineiro Cau Gomez, que integra a equipe de A TARDE, é um dos dez finalistas da categoria infantil do Prêmio Jabuti. A lista dos indicados para a edição de 2012 da competição – a 54ª desde a sua criação – foi divulgada nesta quinta-feira, dia 20, pela Câmara Brasileira do Livro (veja aqui os concorrentes em todas as categorias).

Publicado pela Editora Solisluna, também baiana e já experiente em participar de outras indicações ao Jabuti, o prêmio literário de maior prestígio do país, Pastinha conta a infância do principal mestre de capoeira angola na Bahia. A obra, além de divertir crianças e adultos, traz informações interessantes sobre a cultura baiana no começo do século XX.

José de Jesus Barreto, que é também autor de um livro sobre a trajetória de Mestre Pastinha depois de adulto, recorre à ludicidade para contar a história de um menino miudinho e franzino, de origem humilde, criado no Pelourinho, que aprendeu capoeira com um velho africano, como forma de escapar das rixas com garotos mais velhos e mais fortes. O texto é completado com maestria pelas ilustrações de Cau Gomez, que reproduz os cenários do Centro Histórico e os fatos mais importantes da vida do mestre de capoeira.

O material que serviu de base para compor a história infantil veio de uma entrevista de 1967, em que o próprio Mestre Pastinha conta sobre sua infância e relembra seu velho mestre, o ex-escravo banto Benedito. A obra é completada ainda por lições sobre os fundamentos da capoeira angola e no final, um glossário ilustrado mostra os golpes mais usados nessa mistura de arte e luta.

Pastinha concorre ao prêmio nacional com autores como Ziraldo, criador do Menino Maluquinho, e Fabrício Carpinejar.


Solisluna lança Pastinha na III Feira do Livro Infantil de Fortaleza

postado por Andreia Santana @ 12:39 AM
29 de agosto de 2012

O livro infantil Pastinha – O menino que virou mestre de capoeira (Solisluna Editora), de José de Jesus Barreto e Cau Gomez, será lançado nesta quinta-feira, dia 30, às 15h, na III Feira do Livro Infantil de Fortaleza, que começa nesta quarta, 29, e vai até o sábado, dia 01 de setembro. A editora baiana aproveitará a presença no evento para divulgar o seu catálogo voltado para crianças e adolescentes.

O artista gráfico Cau Gomez apresentará Pastinha aos leitores de Forlateza

Pastinha narra a infância do principal mestre de capoeira angola na Bahia, que aprendeu a luta ainda criança, nas ruas e ladeiras do Centro Histórico, onde morava. A história de sua iniciação foi contada pelo próprio capoeirista, em entrevista de 1967. O livro é o 11º título do catálogo infantojuvenil da Solisluna Editora.

Outras obras da editora para crianças: Vaporzinho, escrito e ilustrado pelo designer Enéas Guerra, que conta a história da embarcação que navegava antigamente na baía de Todos os Santos, fazendo a comunicação entre as comunidades do recôncavo e a capital baiana; Cirilo, o dragão que sonhava ser bombeiro, de Carolina Bacelar; Ibejis e Oxum, este último baseado na obra de Pierre Fatumbi Verger, ambos ilustrados por Edsoleda Santos;  Oxalufã, parceria de Edsoleda com o antropólogo Renato da Silveira; Saíra Sete Cores, de Débora Knittel, que narra a vida de um passarinho e tem ilustrações de Naara; Margarida Bem-Me-Quer, um poema em versos, ilustrado por Enéas Guerra; A dama de branco, de Graziela Domini, que usa sua experiência para falar sobre a morte para as crianças, com ilustrações de Edsoleda Santos; Papai Noel existe, mamãe?, também de Graziela Domini e ilustrado por Ian Sampaio; e O Dragão do Ventre de Ouro, primeira obra de uma trilogia de fantasia, escrito por Éric A. A. Oliveira aos 12 anos e ilustrado por Athos Sampaio.


Solisluna Editora promove sessão de autógrafos na Bienal de SP

postado por Andreia Santana @ 10:51 PM
9 de agosto de 2012

As baianas Iêda Marques e Dora Ramos marcam presença na 22ª Bienal do Livro de São Paulo, que começa nesta quinta e vai até o próximo dia 19, em sessões de autógrafos de suas respectivas obras: Lembranceiras, imaginário e realidade, que será apresentado nesta sexta, dia 10, às 19h; e O melhor da vida – Prazer em conhecer pessoas e lugares!, no sábado, 11, às 11h. Os dois livros são publicações da Solisluna Design Editora, que participa do evento literário com a exposição completa do seu catálogo.

Capas de Lembranceiras e de O melhor da vida

O foco central da Solisluna é a valorização da cultura baiana, com prioridade para temas locais e ao mesmo tempo universais.  O catálogo inclui história, cultura afro-brasileira, ficção, não-ficção, infantojuvenis, arte visual, fotografia e poesia. Também não é a primeira vez que a editora participa de eventos literários nacionais, Iêda Marques, com o seu Lembranceiras…, esteve na última edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip). Outro destaque da editora é o infanto-juvenil Pastinha – O menino que virou mestre de capoeira, escrito pelo jornalista José de Jesus Barreto e ilustrado pelo premiado cartunista Cau Gomez.

*Com informações da assessoria da Solisluna


O olhar terno de Iêda Marques sobre a cultura e o povo da Chapada

postado por Andreia Santana @ 1:58 AM
3 de maio de 2012

A fotógrafa baiana Iêda Marques pertence àquela rara qualidade de gente dotada de tal sensibilidade que consegue compor poesias com as lentes de sua câmera. E o resultado dos seus versos tecidos em imagens pode ser conferido no primeiro trabalho solo da artista, o livro Iêda Marques – Lembranceiras, imaginário e realidade (Solisluna Editora), que tem lançamento no próximo dia 8 de maio, às 19h, no foyer do Teatro Castro Alves (Campo Grande). Na ocasião, ocorre o vernissage de uma exposição de fotos e monóculos, que integram o projeto do livro, e poderá ser visitada até o dia 18 deste mês. O grupo de reisado Terno das Ciganas, de Caeté-Açu (Vale do Capão) fará também uma apresentação durante o evento.

A Chapada Diamantina é o cenário revelado pelas lentes de Iêda em Lembranceiras, mas não apenas aquela Chapada de grotões e flora exuberante para os trilheiros ou turistas. É a partir do povo da região que a autora nos conta uma história feita de muitos instantâneos, mas também de textos que fazem a ponte entre os diversos mundos que formam a Chapada. As fotos, de uma beleza comovente, até falam por sí, mas a prosa da autora, o texto segue um ritmo inspirado no proseado sertanejo, possibilita uma reflexão mais profunda sobre o ambiente, os costumes, a cultura e o povo retratados.

Dotado de um lirismo que remete ao sonho e de um otimismo apaixonante – fiquei de muito bom-humor após a leitura -, o livro traz desde as paisagens vastas até o miudinho do cotidiano dos moradores da região, com sua labuta diária, sua religiosidade, seus batizados, enterros, casamentos, batuques e folguedos. Os retratos, principalmente de personagens mais velhos, mostram aquela expressividade que concentra toda a sabedoria inata da humanidade. A intimidade das casas humildes, suas cozinhas com panos de crochê cobrindo filtros de barro, moringas, flores silvestres sobre as mesas, trempes e fogões à lenha provocam uma nostalgia de um tempo em que, apesar do trabalho árduo sob o sol, a vida era mais singela e  mais bela.

Iêda Marques, que é ativista ambiental desde os anos 70, iniciou o projeto que culminou no livro em 2001 e o esmero tanto na seleção das imagens quanto no acabamento da obra provam que este foi, não apenas um projeto de trabalho, mas um ideal de vida acalentado e gestado com todo o cuidado e paciência. Antes desse projeto, fotos suas – de cozinhas das comunidades rurais da Chapada -, haviam integrado a coletânea Bahias, também editada pela Solisluna.

A fotógrafa tem ainda fotos nos acervos do Museu de Arte de São Paulo e no Museu da Casa Brasileira. Venceu, em 1998, o prêmio Marc Ferrez de Fotografia (Funarte/Minc) e já participou de mostras coletivas e individuais.

Voltando ao livro, mesmo um leitor sem conhecimento especializado de fotografia perceberá que um pedaço de Iêda Marques está em cada linha do seu proseado e, principalmente, em cada uma das fotos. Não à toa, ela escolheu como abre-alas para essa viagem pela Chapada, uma frase de Frida Kahlo: “Vou escrever para você com os meus olhos”. E escreve mesmo, também com a alma!

Ficha Técnica:

Iêda Marques – Lembranceiras, imaginário e realidade

Solisluna Editora

152 páginas

R$ 80,00 (preço promocional de lançamento)